Bem-vindos ao blog da revista Angola'in!

Uma publicação dirigida a todos os angolanos, que pretende ser o elo de ligação da lusofonia. Queremos que este espaço seja mais um meio de contacto com os nossos leitores e todos aqueles que têm ligações a este país. O nosso objectivo é estarmos próximos de si e, com isso, esperamos acolher a sua simpatia e a sua opinião, como forma de enriquecer o nosso trabalho. O seu feedback é uma mais-valia, um estímulo para continuarmos a desenvolver um projecto inteiramente dedicado a si!

Angola'in à venda em Portugal e Angola

Angola'in à venda em Portugal e Angola
A 1ª edição 2012 da Angola'in é pura sedução! Disponível em Angola e Portugal, a revista marca o seu regresso ao bom estilo das divas: com muito glamour e beleza. Uma aposta Comunicare que reserva grandes surpresas para os seus leitores

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Economia


China conquista Angola com a ajuda da Sonangol



A Sonangol tem sido a porta de entrada da China em Angola. A petrolífera e as autoridades de Pequim criaram uma complexa teia de relações comerciais onde gravitam, pelo menos, 48 empresas. A China Sonangol International Holdings é um dos principais pólos de ligação desta rede, sendo detida a 70% pela New Bright, uma empresa presidida por Luo Fong Huo, que é também administradora de mais 30 empresas chinesas.Este relacionamento profundo entre a Sonangol e a China é revelado num estudo da Chatham House, intitulado “Sede de Petróleo Africano – Petrolíferas Nacionais Asiáticas na Nigéria e Angola”. “A injecção de dinheiro e de linhas de crédito por parte da China tem permitido aos governantes angolanos resistir às pressões das instituições financeiras ocidentais em matéria de transparência das contas públicas, embora este facto não deva ser empolado, dado que as autoridades têm continuado a trabalhar com assistência técnica do FMI”, dizem Alex Vines, Lillian Wong, Markus Weimer e Indira Campos, autores do estudo.


in Jornal de Negócios

Investimento

Maior edifício de Luanda apresentado amanhã


O “maior prédio” de Angola (Edifício ESCOM), com 24 andares, é apresentado esta terça-feira em Luanda, no município da Ingombota.
De acordo com uma nota de imprensa dos proprietários a que a Angop teve hoje acesso, a torre afigura-se como a mais alta da história de Luanda desde que ascendeu à categoria de cidade em 1575.
O empreendimento destina-se à habitação, comércio e a escritórios e sua inauguração será igualmente em Setembro.
A apresentação da torre será feita pelo presidente desse grupo empresarial durante uma conferência de imprensa, que culminará com uma visita às instalações.

Construção


Huambo acolhe primeira conferência sobre urbanismo e habitação



Mais de duzentas pessoas, entre governantes, políticos, religiosos, estudantes e militares, estão a participar, na cidade do
Huambo, na 1ª conferência provincial sobre urbanismo e habitação, no âmbito do programa do Governo “Meu sonho, minha casa”.
Aberta pelo governador da província, Albino Malungo, a conferência será encerrada no final desta tarde, pelo ministro do Urbanismo e Habitação, José da Silva Ferreira, que já se encontra no Huambo.
Na ocasião, o governador do Huambo referiu que o encontro marca o início de uma jornada de luta, desafiando o tempo que irá permitir maior sinergia e coordenação de esforços para o êxito do programa nacional de urbanismo e habitação, lançado pelo Governo para a legislatura 2009/2012.
Exortou cada um na sua área de intervenção a fazer que este objectivo estratégico do Governo angolano seja implementado com o êxito para o qual foi concebido.
Fez saber que o governo do Huambo tem dado passos relevantes para a preparação das áreas delimitadas como reservas fundiárias, parte integrante do programa nacional do urbanismo e habitação.
“Foram realizadas várias acções, desde a identificação, levantamento topográfico, desminagem e registo, para permitir a realização de estudos e projectos”, citou.
Revelou que estão identificadas 11 reservas fundiárias, em toda a província, numa extensão de cerca de três mil hectares.
Albino Malungo assegurou que o governo provincial está a elaborar um plano, dentro deste programa, cujo objectivo específico é a produção de conjuntos habitacionais, baseando-se em modelos de casas com padrão económico predefinido, a realizar-se em regime de custos controlados.
“Estes projectos serão executados através de operações de loteamento urbano e de construção de obras de urbanização, providos de
equipamentos sociais”, referiu.
Com a realização deste evento, o Governo pretende dar a conhecer o programa “Meu sonho, minha casa”, para que o mesmo seja vivenciado e interiorizado, contando com o contributo de todos.
No período da manhã, os participantes tomaram conhecimento sobre o programa nacional de urbanismo e ambiente “PNUH” com maior incidência na conversão dos musseques e urbanização das reservas fundiárias, as responsabilidades provinciais na sua implementação e gestão.
Nesta tarde estão a ser abordados temas como Diagnostico e apresentação de programas preliminares para a urbanização das reservas fundiárias ao nível da província, Quadro habitacional actual da região, modalidades de acesso e Estratégia local para a requalificação dos bairros periféricos.
A estratégia provincial para a regulação fundiária das áreas peri-urbanas, Apresentação da relação de investimentos privados provinciais do domínio do urbanismo e habitação, Potencialidades da província na extracção de inertes e produção de materiais de construção, O papel do ambiente no quadro das reservas fundiárias, taxas de emolumentos sobre os terrenos.
A lei base do fenómeno habitacional e questões de financiamento (estratégia de financiamento, crédito habitacional e fundo de fomento habitacional) são outros temas agendados para a discussão na 1ª conferência do urbanismo e habitação.
No âmbito desta conferência, o ministério do Urbanismo e Habitação realizou em Julho último, na província Huambo, um seminário de capacitação para os administradores municipais e comunais, bem como, para os empresários e agentes imobiliários.
Fontes do urbanismo e habitação revelaram que a província vai beneficiar, no quadro deste programa, de seis mil casas que serão erguidas nos municípios sede do Huambo e Caála.

Desenvolvimento

Produção satisfatória de óleo de palma em cinco anos



O Instituto Nacional do Café de Angola (Inca) perspectiva que o país possa alcançar, num prazo de cinco anos, níveis
satisfatórios de produção de óleo de palma, com vista a inverter a importação deste produto actualmente calculada em três mil toneladas de litros/ano.
A perspectiva foi anunciada hoje (segunda-feira), em Luanda, pelo director-geral do INCA, João Ferreira da Costa, em declarações à Angop, afirmando que consta nas acções da instituição a recuperação e o aumento da produção de óleo de palma, a entrega de instrumentos de trabalho a empresas agrícolas familiares, a disponibilização de vastas extensões de terra a empresários e a criação de indústrias de transformação de dendém de médio porte.
As medidas, precisou, incluem um programa de fomento do café e do palmar inserido na carteira de projectos de impactos socio-económicos do Governo, no âmbito do Plano Nacional e no Programa Executivo do Sector Agrário.
Segundo João da Costa, em função do programa de fomento do café e do palmar, serão concedidos cinco mil hectares a produtores da província do Bengo, quatro mil aos agricultores de Cabinda e três mil hectares aos restantes agentes agrícolas das demais províncias do país, para o cultivo de dendém.



Quanto às tarefas do Inca, esclareceu que a instituição proporciona assistência técnica aos produtores e realiza acções de fomento da produção de café, palmar e cacau. Referiu que, no âmbito do fomento da actividade, o instituto pretende, neste momento, estabelecer protocolos de intenções com a Sonangol e a empresa petrolífera espanhola ENI, para a prospecção e investigação do palmar angolano.
Sublinhou que o Inca tem já protocolos assinados com os institutos de Óleo de Palma das repúblicas da Indonésia e da Malásia para formação de quadros angolanos, criação dos chamados cofres de germo-plasma no país e fomento da produção.
De acordo com a fonte, por ser uma actividade feita principalmente por empresas privadas, o Inca tem registado a importação de semente de palmeira de dendém sem a observação de alguns critérios.
“Para pôr cobro a esta situação, alertamos aos nossos serviços de sanidade vegetal a não permitir a entrada no país de sementes de palmar sem critérios, porque Angola é o país mais a sul do hemisfério sul com o melhor palmar, pela qualidade e durabilidade das suas palmeiras, razão pela qual há necessidade de preservarmos os nossos germo-plasmas”, justificou.

Saúde

Luís Sambo reeleito para a OMS/ Afro






O angolano Luís Gomes Sambo foi reeleito nesta segunda-feira, ao cargo de director da Organização Mundial da Saúde para África (OMS/AFRO), com 45 votos, dos 46 possíveis.
Gomes Sambo é director regional desde 2004, sucedendo Ibraim Samba.






Intervenções prioritárias na saúde até 2013




O drector regional da OMS para África, Luís Gomes Sambo, sugeriu um pacote de intervenções prioritárias que os países membros deverão desenvolver para maximizar os progressos na área da saúde até 2013, no quadro dos onze objectivos estratégicos definidos pela organização.
A proposta consta de um relatório de 56 páginas, apresentado hoje, segunda-feira, ao Comité Regional da OMS/AFRO e submetido à apreciação dos ministros e chefes das delegações africanas reunidos em Kigali, Rwanda.
O relatório avaliou detalhadamente o grau de implementação de programas prioritários de saúde na região, como a luta contra a Malária, VIH/SIDA, Tuberculose, saúde materno-infantil, doenças crónicas não transmissíveis, melhoria dos serviços de saúde, saúde ambiental, promoção da saúde e a presença da OMS nos países membros.
Luís Gomes Sambo realçou a necessidade de reforçar-se o desempenho destes programas, sugerindo um pacote de medidas que poderiam garantir não apenas a correcta implementação das estratégias adoptadas, mas também um maior vigor na mobilização de recursos necessários aos países.



Entre as acções estratégicas a desenvolver no futuro, destacam-se uma melhor qualidade de dados sobre a saúde, intensificação de esforços para mobilização de recursos, formação na área da resposta integrada às doenças, melhoria dos mecanismos de coordenação, vigilância de doenças e a investigação em saúde e investigação operacional.
A OMS, realçou Luís Sambo, intensificará a advocacia, mobilização de recursos e as parcerias para acelerar os progressos nestas áreas, incluindo a investigação científica e o uso correcto dos seus resultados para a uma melhora prestação de serviços.
As situações de emergência, catástrofes, crises e conflitos merecem uma atenção especial do director regional da OMS, que aconselhou os países africanos a “garantirem a necessária capacidade institucional, para que se possa manter uma presença mínima no terreno e assegurar o atendimento das pessoas em situação de risco”.
Neste relatório anual, Sambo diz que “as doenças transmitidas pela insalubridade dos alimentos e pela água contaminada continuam a ser graves problemas de saúde pública e importantes causas de mal nutrição entre as crianças da região.
Observou, contudo, que “a Declaração de Libreville sobre a Saúde e o Ambiente em África trouxe nova dinâmica à formulação de políticas e programas integrados, desejando que os esforços no futuro incidam em acções mais concretas».
Referindo-se a segurança dos alimentos e à nutrição, reafirmou o apoio da OMS aos países na elaboração e implementação de políticas e planos nacionais, mobilização de recursos e reforço de parcerias e da colaboração inter-sectorial.



O relatório fornece aos delegados uma análise global do trabalho desenvolvido pela OMS em 2008, destacando temas como o estado crítico da saúde da mulher e da criança, a debilidade dos sistemas de saúde no continente e os progressos significativos obtidos nos Estados-Membros relativamente a cada um dos 13 objectivos estratégicos definidos pela OMS.
Outro tema que mereceu especial atenção foi a escassez de recursos para a implementação de programas de saúde e a execução do orçamento programa da OMS para o biénio 2008-2009, estimado em USD um 1.1 biliões.
“A África, rematou Gomes Sambo, absorve 28,2 porcento do orçamento consignado à OMS a nível global.
Aconselhou os países a explorarem novas possibilidades para uma vigorosa campanha de recolha de fundos, reforçar as capacidades nacionais na preparação e resposta às situações de crise e a cooperação inter-sectorial, dentre outras.
A cooperação internacional mereceu uma menção particular neste relatório.
O director regional da OMS mencionou as diferentes parcerias criadas em África para uma melhor coordenação de esforços, incluindo grupos da sociedade civil, para a luta contra a malária, tuberculose, malária e o VIH/SIDA.
“Tivemos a colaboração de muitos parceiros, como o Fundo Global, a USAID, CDC, DFID, Governo Espanhol, CIDA e Sida que financiaram actividades nos países”, disse, sem esquecer-se das Agências das Nações Unidas.
Os delegados à 59ª sessão do Comité Regional da OMS vão estar reunidos em Kigali até ao próximo dia 4 de Setembro, com uma agenda que inclui temas como o grau de implementação dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio relacionados com a saúde e a resistência aos medicamentos relacionada à SIDA.
Tuberculose (TB) e o paludismo, as perspectivas para a eliminação do sarampo e do paludismo e o flagelo das Doenças Tropicais Negligenciadas que a Região enfrenta também são temas a analisar no encontro.
O Comité Regional integra os ministros da Saúde dos 46 países que formam a Região Africana da OMS.
A sua principal finalidade é analisar o trabalho da OMS na Região e fornecer orientações sobre acções sugeridas para melhorar a situação sanitária nos Estados-Membros.
Entre a audiência destacam-se ainda parceiros internacionais e quadros da OMS a nível mundial que estarão reunidos em Kigali, capital do Ruanda, até ao dia 4 de Setembro.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Parceria


China reitera apoio



O encarregado de negócios da Embaixada da República Popular da China em Angola, Wang Wei, reafirmou hoje, em Luanda, que o seu governo vai continuar a apoiar o processo de reconstrução e desenvolvimento do país.
Falando à Angop, à margem de um almoço de confraternização com os jovens angolanos que participaram do 3º Festival da Juventude Sino-africana, naquele território asiático, disse ser “muito forte” o crescimento económico de Angola, nos últimos tempos, fruto do intercâmbio com vários países, entre os quais a China.
“Estamos a ter um relacionamento cada vez mais intenso com Angola, no que concerne à troca de experiências em vários domínios. Nesta fase, estamos num período de complementariedade das parcerias estabelecidas no ramo da economia e negócios, para elevar o bem-estar dos nossos povos”, expressou o diplomata chinês.
Sem avançar o volume de investimentos empregues em Angola, pela China, Wang Wei defendeu uma maior cooperação entre os empresários de ambos os países, no âmbito das estratégias do desenvolvimento desejado.
Acrescentou que a juventude angolana está preparada para ser o principal construtor do seu país, mas defendeu o reforço da troca de experiência com jovens chineses e não só, para a manutenção da amizade, cooperação e respeito mútuo entre os governos.

Pescas

Governo distribui embarcações no Huambo



Pelo menos 95 embarcações serão distribuídas, este ano, pelo Ministério das Pescas a cooperativas de pescadores da província do Huambo, com vista a combater a fome e reduzir a pobreza, garantiu hoje, na comuna do Alto-Hama, município do Londuimbali, província do Huambo, o ministro das Pescas, Salomão Xirimbimbi.
Das 95 embarcações, 20 foram já entregues hoje, por Salomão Xirimbimbi, a seis cooperativas de pescadores do Londuimbali, que desenvolvem a sua actividade na lagoa natural do Ekumbue, situada no Alto-Hama.
As demais canoas, a remo, serão disponibilizadas brevemente a outros pescadores da província, pelo governador da província do Huambo, Albino Malungo, explicou o ministro das Pescas que encorajou os beneficiados a se engajarem-se no trabalho, de modo a aumentar a produção e seus rendimentos.
"Esta entrega representa a materialização de um amplo projecto do Governo denominado “Programa de Relançamento da Pesca Artesanal em Todo o País”, que contemplará novamente, nos próximos tempos, a província do Huambo com mais 100
embarcações entre canoas a remo e a motor, devido ao potencial da província nesta área", justificou.
Sobre a comercialização do pescado, o responsável informou, a representantes de cooperativas presentes no acto, que especialistas do Instituto de Pesca Artesanal vão em ensinar, em breve, a vários pescadores novos métodos de conservação do produto, além da secagem.



Segundo o ministro das Pescas, além dos métodos tradicionais e modernos de conservação, os pescadores poderão igualmente, não só vender, como armazenar a sua produção no entreposto de frio inaugurado hoje na cidade do Huambo.
Também presente no acto de entrega das canoas, o governador da província do Huambo, Albino Malungo, em breves considerações, orientou os beneficiados a conservar os meios e garantiu que outros apoios serão dados pelo Governo central e provincial para a sustentação, o desenvolvimento da pesca artesanal, com vista a melhoria e garantia do sustento das famílias rurais.
A cerimónia de entrega das embarcações, contou igualmente com a participaram de outros responsáveis do Ministério das Pescas, entre directores nacionais e províncias, assim como de entidades tradicionais, quadros e técnicos da província do Huambo e demais convidados.
Em visita de trabalho a província do Huambo desde quarta-feira, o ministro das Pescas Salomão Xirimbimbi, e a delegação que o acompanha, tem regresso previsto para Luanda este sábado.

Cooperação

Polónia privilegia Angola para relacionamento
O encarregado de negócios interino da Embaixada da Polónia em Angola, Jacek Wasilewski, disse hoje, em Luanda, que o seu país pretende colocar Angola numa posição privilegiada, no quadro da sua política externa.
Em declarações à Angop, o responsável, que considerou as relações entre os dois países excelentes, frisou que nos últimos anos Angola passou a ser um dos 10 países que a Polónia considera como parceiros prioritários.
"Estes 10 países são extra-europeus e Angola é o único país de África subsahariana incluído na nossa política económica externa", salientou.
Segundo a fonte, um dos sinais demonstrados neste aspecto foi o crédito que a Polónia concedeu a Angola, que foi utilizado para o financiamento de parte do grande projecto de contrução da escola marítima, na província do Namibe, em 2006, e que ainda se encontra em curso.

Formação


Jovens contribuem para eficiência da Alfândega



O director nacional das Alfândegas, Sílvio Franco Burity, considerou hoje em Luanda, que o recrutamento de jovens com boa formação académica tornou a instituição mais eficiente e garante a sustentabilidade das reformas.
Segundo Sílvio Burity, em entrevista à Angop, na altura em que a Direcção Nacional das Alfândegas iniciou as reformas em 2000, a percentagem de técnicos superiores era inferior a 10 porcento e neste momento é de 25 porcento.
“O recrutamento, que aumentou significativamente a força de trabalho, foi necessário, com vista a garantir a sustentabilidade das reformas que a instituição tem vindo a empreender”, asseverou.
Burity garantiu que o contrato celebrado entre a Alfândega e a sociedade de direito inglês Crown Agents, de modernização das Alfândegas, permitiu a formação de quadros angolanos no controlo das exportações e na fiscalização de mercadorias nos portos e aeroportos.
“O contrato com a empresa inglesa é essencialmente de assistência, formação sobre os novos procedimentos que nós temos vindo a implementar e também no sistema informático, que visa agilizar a tramitação dos despachos”, referiu.
O Governo angolano estendeu por mais dois anos o contrato celebrado entre a Direcção Nacional das Alfândegas e a sociedade de direito inglês Crown Agente, com o objectivo de garantir a sustentabilidade das reformas iniciadas em 2000.
O contrato visa essencialmente aumentar a arrecadação de receitas, por via do alargamento da base tributária, combate à fraude e evasão fiscal.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Aviação

Acidente faz dois feridos


O acidente com um avião de carga militar no momento em que se preparava para descolar de Luanda para Cabinda, provocou dois feridos ligeiros entre os cerca de 60 passageiros que seguiam a bordo, informaram os bombeiros de capital angolana.

Estes feridos, ainda segundo a mesma fonte, não necessitaram de cuidados médicos de urgência.

Sobre as razões do acidente com o IL-76, fonte do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, ligada ao sector do controlo aéreo, indicou que o aparelho "fez-se à pista e depois de lançar os motores" ocorreu uma quebra de potência.

"Com a velocidade que levava, o aparelho acabou por sair da pista, partindo parte do trem de aterragem, acabando por se despenhar logo à saída da pista, mas já fora das instalações aeroportuárias", adiantou a mesma fonte.

Educação


Parceria desenvolve trabalho em prol da cidadania


O vice-ministro da Educação, Pinda Simão, referiu que o trabalho desenvolvido entre o seu pelouro e a Development Workshop (DW) incidiu sobre aspectos relacionados com a paz e cidadania.
Pinda Simão teceu essas considerações durante a cerimónia de abertura do encontro inter-provincial de troca de experiência, gizado pelo sector de paz e cidadania da DW.
Segundo o responsável, desses aspectos constam ainda os relacionados com os direitos humanos e o curriculum escolar, para que esses conhecimentos sejam incutidos numa grande parte da popular que gira dentro do sistema educativo.
Durante a sua alocução, agradeceu a organização por ter tomado a iniciativa de há dez anos associar-se ao esforço do Governo na procura de paz e desenvolvimento do País.
No seu entender, o percurso foi longo mas foi desenvolvido com trabalho no domínio da procura da paz e da consolidação da cidadania e tem o seu reflexo hoje.
Os resultados alcançados, disse, devem-se aos esforços desenvolvidos pelas diferentes franjas da população angolana e de várias organizações como a DW.
"A paz não deve ser uma simples palavra, deve ser um comportamento e para que isso aconteça é preciso que seja incutido nas pessoas o esforço que foi e continua a ser feito para harmonização, consolidação da paz e cidadania", disse.
Participam do encontro, Ong's de diversas províncias, igrejas, a embaixada da Holanda, a Comissão Europeia.
Por seu turno, a representante da Comissão Europeia, Áurea Pereira, revelou que a sua instituição contribuiu com um milhão de euros para a implementação deste projecto que se insere no apoio à promoção da democracia.

Cooperação

Governo aprova acordos de cooperação com Moçambique


Os acordos de cooperação entre os governos de Angola e Moçambique nos domínios da Defesa, Petróleo e gás, Comunicação Social e Geologia e Minas foram aprovados nesta quarta-feira pelo Conselho de Ministros.

Os instrumentos jurídicos têm por objectivo o reforço e estreitamento das relações de amizade e cooperação entre os dois países, indica o comunicado da reunião do executivo, orientada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Nesta reunião, o Governo aprovou também o Acordo Quadro de cooperação entre Angola e a China, rubricado em Dezembro de 2008, em Beijing, visando a consolidação das relações entre os dois países.

Cultura


Defendida maior sincronia entre promotores e criadores


O professor de arte Paulo Kussy afirmou hoje, em Luanda, que para haver uma séria dinamização artística nas artes plásticas do país precisa-se uma maior sincronia entre os promotores culturais, mecenas e os próprios criadores.
Em declarações à Angop, Paulo Kussy fez saber que apesar de haver interesses de algumas entidades em dinamizar a arte, nos últimos anos, há que se trabalhar bastante de modo a que as sensibilidades apontadas acima surjam cada vez mais e se entreguem mais em prol da arte.
“Nota-se não existir ainda galerias como tal, logo, não se verifica um comércio de artes plásticas como devia ser não obstante o engajamento de espaços como Celamar, Salão Internacional de Exposições(Siexpo), União Nacional de Artistas Plásticos(UNAP) e a Humhumbi”, referiu.
No entanto, fruto da paz que Angola conquistou, disse, há perspectivas de melhorias deste sector, já que se está a criar, por exemplo, uma infra-estrutura adequada para o ensino artístico, propiciando assim o surgimento de mais técnicos médios capazes de encontrar as soluções para o progresso da “arte do belo”.
Se surgirem deste modo, segundo disse, haverá mais técnicos médios capazes de formar as crianças ao nível elementar e os superiores para formar os médios, assim como se vai criar um número elevado de artistas e professores com um poder de investigação cada vez mais avançado, influenciando, assim, o surgimento de galerias de facto e museus de arte.
“O curso da actual Escola Nacional de Artes Plásticas(ENAP), como nota, podemos dizer que está bem estruturado, sendo que os alunos apresentam, no quarto ano, um trabalho de investigação sobre um determinado estilo artístico, mas o problema deve-se ao facto de que esta pesquisa não continua por ausência de uma Escola Superior de Belas Artes.Logo, tem de surgir igualmente em Angola a escola artística de nível superior”, salientou.
Paulo Kussy reafirmou que o produto artístico tem necessariamente de fazer parte do imaginário de qualquer indivíduo desde o início da sua escolaridade em diante, só assim se pode compreender e dar valor aos aspectos culturais importantes incorporados, por exemplo, na cor, na mancha e na imagem concebida pelo artista.
Nascido aos dois de Fevereiro de 1978, Paulo Kussy é licenciado em pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade Clássica de Lisboa.
Actualmente, o também artista plástico é professor da Escola Nacional de Artes Plásticas(ENAP).

Sociedade

Recenseamento da população em 2010




Conselho de Ministros aprovou hoje, em Luanda, o processo preparatório para a realização do censo populacional e de habitação em Angola, que vai arrancar em 2010.

Na reunião, a ministra do Planeamento de Angola, Ana Dias Lourenço, prestou informações sobre a forma como estão a decorrer os trabalhos pré-preparatórios que o Instituto Nacional de Estatística tem vindo a desenvolver para a realização do primeiro censo populacional, depois da independência do país, em 1975.

A ministra disse, em declarações à Rádio Nacional angolana, que o Conselho de Ministros orientou a continuação dos trabalhos pré-preparatórios, a decorrerem há cerca de dois anos, para, em 2010, ter início o processo de preparação para a realização do censo.





"Como estamos no final do ano, o Conselho de Ministros recomendou que o orçamento de 2010 previsse as verbas para, concretamente, começarmos a preparar o censo", referiu Ana Dias Lourenço, salientando que também no próximo ano entra em funções o órgão responsável pela coordenação do processo preparatório e de realização do censo.

O Governo pretende com este censo obter informações sobre a estrutura da população, sua distribuição geográfica e evolução, bem como elaborar com eficácia o planeamento e ordenamento do território, com vista à "optimização dos recursos e à concessão de programas sustentáveis de desenvolvimento económico e social e do ambiente".

Na reunião de hoje, dirigida pelo Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, foi igualmente aprovada a proposta de orçamento do gabinete técnico para a avaliação das infra-estruturas da cidade de Ondjiva (antiga Vila Pereira d'Eça), Província do Cunene, para 2009.

Segundo o comunicado final da reunião, esse orçamento visa implementar "acções de curto e médios prazos" necessárias para fazer face às consequências das cheias e da seca que assolaram a Província, bem como requalificar e expandir a cidade de Ondjiva.

Foram também aprovados os acordos de cooperação entre os Governos de Angola e Moçambique, nos domínios da defesa, petróleo e gás, geologia e mineração e comunicação social, no âmbito do "reforço e estreitamento" das relações "de amizade e de cooperação" entre os dois países.

Um outro "acordo quadro" de cooperação entre Angola e a China, assinado em Dezembro de 2008, foi igualmente aprovado pelo Conselho de Ministros, com o objectivo de "consolidar" as relações existentes entre os dois países.

Foi igualmente aprovado o projecto de construção de uma fábrica de cimento na Província de Benguela, no valor de 240 milhões de dólares, que deverá ser implementado em cinco anos.

Saúde


Representante da OMS pede "resposta apropriada" aos primeiros casos no país




O representante da Organização Mundial de Saúde (OMS) em Angola apelou hoje às autoridades de Luanda para que seja "acelerado" o esforço para uma "resposta apropriada" à Gripe A (H1N1) depois de divulgados os primeiros casos no país.

Diosdado Nsue Milang, em nota divulgada hoje em Luanda pela OMS, horas depois de conhecidos os quatro primeiros casos em Angola, dois brasileiros e duas cidadãs angolanas, alertou para o rápido crescimento de contaminações no continente africano.

O responsável pela OMS em Angola deixou como conselho a adopção de "medidas preventivas" e à procura de "cuidados médicos como forma de reduzir o risco de infecção e de alastramento da doença"

Nsue Milang recordou que o Ministério da Saúde angolano orientou as direcções das unidades sanitárias a prestarem atenção especial às pessoas mais vulneráveis à gripe A (H1N1), como indivíduos com doenças respiratórias crónicas (em particular a asma) mulheres grávidas, crianças pequenas, idosos e profissionais de saúde.





Até 25 de Agosto, a OMS tinha reportado um total de 3.852 casos de Gripe A (H1N1) com 11 óbitos, em 20 países africanos.

Angola registou os primeiros casos de Gripe A (H1N1), dois cidadãos brasileiros recém chegados ao país e dois angolanos, que viajaram recentemente para a África do Sul e para Portugal com passagem por Espanha, divulgou o Ministério da Saúde angolano.

Foi numa reunião regular da Comissão Interministerial de acompanhamento e prevenção da Gripe A (H1N1) em Angola, realizada na terça-feira, que o ministro da Saúde, José Van-Dúnen, divulgou o surgimento dos primeiros casos em Angola, sublinhando não haver razão para pânico.

O ministro adiantou ainda que as quatro pessoas infectadas estão em quarentena nas suas casas e o diagnóstico foi obtido depois de se terem deslocado aos serviços de saúde com sintomas de gripe.

Depois de diagnosticados estes casos, as equipas sanitárias, ainda segundo José Van-Dúnen, deslocaram-se a casa dos pacientes para fazerem um controlo mais apertado da situação.

"Não há razão para pânico", garantiu o ministro da Saúde angolano, assegurando que a comissão tem a situação sob controlo e que "as medidas são as mesmas já anunciadas: o reforço do controlo e a higiene pessoal".

Pediu, no entanto, que todos aqueles que tenham quaisquer dos sintomas divulgados se dirijam aos centros de saúde e postos médicos.

Estes são os primeiros quatro casos de Gripe A (H1N1) em Angola, mas José Van-Dúnen lembrou que em África já estão registados mais de 3.800 casos, e defendeu o aumento das campanhas de sensibilização e informação.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Cooperação


Angola vai participar no exercício da SADC em 2010



O Governo aprovou hoje a participação de Angola no exercício da SADC (Southern African Depelopment Comunity) “Golfinho”, em 2010, e a criação do sistema nacional de vigilância marítima.
Reunido em Conselho de Ministros, o executivo aprovou o projecto de investimento privado SLN – fábrica de cimento e clinker de Benguela e a criação do Centro Nacional para as Tecnologias de Informação, assim como o respectivo estatuto orgânico.
Na reunião, sob orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, o Governo aprovou também a execução do programa de infra-estrutura para Camama, no município do Kilamba Kiaxi, província de Luanda.

Segurança


Empresa rodoviária Lumege deve redobrar medidas de segurança



O governador provincial em exercício da Lunda Sul, Armando Jorge Segunda, apelou hoje, em Saurimo, a empresa privada de transportes Lumege a redobrar a sua segurança interna.
O apelo foi feito durante a visita que o também vice-governador para a área económica e social da Lunda Sul efectou à referida empresa, na sequência de um incêndio que deflagrou segunda-feira, que danificou sete autocarros e duas outras viaturas ligeiras no parque da empresa, no bairro Manauto, arredores da cidade de Saurimo.
Para Armando Jorge Segunda, o incidente constitui uma preocupação, visto que a empresa tem acordos com o Governo e contratos com a sociedade mineira de Catoca, no transporte do público e dos trabalhadores.
"É um prejuízo muito grande, pois nós queremos ver a empresa a crescer. Então, é preciso que neste esforço que vai fazendo não se descure dos riscos e melhore o seu sistema de segurança interna," disse o governante.
Jorge Segunda disse também ser preocupação do Governo, o que aconteceu com a empresa por esta ocupar uma posição estratégica que a levou a beneficiar, recentemente, de autocarros no quadro dos esforços do Governo para garantir a maior mobilidade das populações e seus bens.

Produção


Brasileira Odebrecht e Sonangol arrancam investimento de 154ME na produção de açúcar e energia



O grupo brasileiro Odebrecht anunciou o arranque oficial do investimento de 220 milhões de dólares (154 milhões de euros), através do consórcio Biocom, que integra a Sonangol, na produção de açúcar e energia em Malange, Angola.
O contrato para a produção de açúcar e energia eléctrica em Malange foi assinado no início da semana pelo presidente da Agência Nacional de Investimentos Privados (ANIP), Aguinaldo Jaime, e por Rui Gourgel, da Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom).
Gourgel, presidente da Biocom, afirmou que o investimento está avaliado em 220 milhões de dólares e prevê, numa primeira fase, a produção anual de 268 mil toneladas de açúcar e 45 megawatts de energia eléctrica, permitindo a extracção de etanol.
Nos próximos anos, a quantidade de açúcar produzido deverá duplicar, permitindo aliviar as necessidades de consumo no país, que importa anualmente cerca de 400 toneladas.
A Biocom é um consórcio entre a Odebrecht (40 por cento do capital), a petrolífera angolana Sonangol e a Damer, um grupo privado angolano.
O consórcio apontou inicialmente 2012 como prazo para entrada do projecto em "velocidade de cruzeiro", e em Janeiro anunciou que iria acelerar os trabalhos.
De acordo com Aguinaldo Jaime, o projecto no município de Cacuso deverá criar pelo menos 500 empregos directos e 700 indirectos.
A Biocom é o primeiro investimento directo da empresa brasileira em Angola em produção agrícola e geração de energia.
A Odebrecht é responsável pela produção da hidroeléctrica de Capanda, vizinha do projecto agro-industrial de Cacuso.
Está também envolvida na exploração petrolífera em Angola, através da sua divisão de petróleo e gás, que recentemente anunciou uma descoberta na costa angolana, numa prospecção operada pela pela Maersk Oil (com 50 por cento).

Saúde


Primeiros casos de Gripe A no país



Angola registou os primeiros casos de gripe A (H1N1), dois cidadãos brasileiros recém chegados ao país e dois angolanos, que viajaram recentemente para a África do Sul e para Portugal com passagem por Espanha, divulgou o Ministério da Saúde angolano.
O ministro da Saúde, José Van-Dúnen, divulgou o surgimento dos primeiros casos em Angola numa reunião regular da Comissão Interministerial de acompanhamento e prevenção da gripe A (H1N1) em Angola.
O ministro adiantou ainda que as quatro pessoas infectadas estão em quarentena nas suas casas e o diagnóstico foi obtido depois de se terem deslocado aos serviços de saúde com sintomas de gripe.
Depois de diagnosticados estes casos, as equipas sanitárias, ainda segundo José Van-Dúnen, deslocaram-se a casa dos pacientes para fazerem um controlo mais apertado da situação.
"Não há razão para pânico", garantiu o ministro da Saúde angolano, assegurando que a comissão tem a situação sob controlo e que "as medidas são as mesmas já anunciadas: o reforço do controlo e a higiene pessoal".

Pediu, no entanto, que todos aqueles que tenham quaisquer dos sintomas divulgados se dirijam aos centros de saúde e aos postos médicos.
Estes são os primeiros casos de gripe A (H1N1) em Angola, mas José Van-Dúnen lembrou que em África já estão registados mais de 3800 casos, e defendeu o aumento das campanhas de sensibilização e informação.
O ministro adiantou ainda que foi diagnosticada uma cidadã angolana com o vírus da gripe A (H1N1) em Cabo Verde mas que está a ser devidamente acompanhada.
Antes do registo dos primeiros casos em Angola, as autoridades de Luanda já tinham, em finais de Julho, anunciado o reforço das medidas de prevenção com o conhecimento do surgimento de vários casos em países vizinhos, como a Namíbia e a África do Sul.
Segundo o vice-ministro da Saúde de Angola, Carlos Alberto Masseca, as medidas de vigilância epidemiológica foram redobradas nos aeroportos internacional 4 de Fevereiro, de Cabinda, Huíla, Cunene e Soyo.
Nos portos de Cabinda, Soyo, Luanda, Lobito e Namibe as medidas foram igualmente reforçadas.


Cultura


Feira da Música e do Livro dá prémio a quem vender livros mais baratos



Uma feira internacional da música e da leitura está a decorrer em Luanda, onde Portugal está representado pelo Instituto Camões - Centro Cultural Português, com cerca de 100 livros expostos.
Esta feira conta com a presença também de editoras estrangeiras. Portugal, Brasil, Moçambique, Cabo Verde e nacionais têm como objectivo promover o gosto pela leitura e a venda de livros a preços acessíveis.
O Instituto Camões tem expostas na feira obras literárias e didácticas, além de jornais, que são oferecidos na compra de um livro.
A inaugurar a feira, que decorre até domingo, esteve a governadora provincial de Luanda, Francisca do Espírito Santo, que considerou o evento, "uma oportunidade ímpar de convívio e intercâmbio cultural".
Além das editoras, estão também a comercializar livros na feira, com o lema "Criar novos factos culturais", alguns alfarrabistas nacionais e estrangeiros.
Renato Menezes, da organização, disse à Lusa que continuam os esforços para aumentar o número de expositores estrangeiros e, quando isso não é possível, "apela-se às embaixadas que se façam representar".
No entanto, apesar dos esforços e de esta ser a terceira edição do certame, é visível a diminuta presença internacional.
Como incentivo à participação e à venda a preços acessíveis, a organização atribui no final um prémio patrocinado pela Sonangol ao stand que tiver à venda os livros mais baratos.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Agricultura


Província do Bié alberga primeira conferência sobre agricultura familiar



A Direcção Provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural realiza hoje (terça-feira), nesta cidade, a primeira conferência provincial sobre agricultura familiar e garantias da segurança alimentar das populações.
De acordo com o programa de actividades a que a Angop teve acesso, o evento abordará temas como parceria público-privada, mecanização agrícola, pólos agro-industriais, diversificação da produção agro-pecuária como garantia da segurança alimentar e renda
familiar.
Os participantes vão discutir também a comercialização e interacção entre o campo e a cidade, medidas, políticas e perspectivas, o papel da mulher no desenvolvimento das comunidades e experiência da organização feminina da igreja católica (Promaica) no meio rural.
O programa reserva ainda a discussão de temas como micro-crédito como motor do desenvolvimento das comunidades rurais, programa de desenvolvimento rural integrado e suas estratégias de implementação e progresso do programa de desenvolvimento rural na província.

Segurança

Mais de trezentos efectivos policiais aptos para operações de apoio à paz



Trezentos e quarenta e três efectivos da Polícia Nacional concluíram nesta terça-feira, na capital do país, o primeiro curso de operações de apoio à paz, em 45 dias, em acto presidido pelo comandante-geral da corporação, Ambrósio de Lemos.
A especificidade desta acção formativa, que contou com a presença de 47 mulheres, visou preparar os efectivos da Polícia Nacional que integrarão futuramente a Brigada de Alerta da SADC e, concomitantemente, da União Africana (UA).
As forças terão como actividade primária a sua integração na coesão regional, denominada "Exercício Golfinho", que se realizará na primeira quinzena de Setembro do ano em curso na República da África do Sul.
Exigindo uma dinâmica teórico-prática, a formação foi concebida obedecendo o curriculum, os métodos didáctico-pedagógicos e os padrões estabelecidos pelo Departamento de Operações de Apoio à Paz do Conselho de Segurança das Nações Unidas e adoptados pela UA e pela SADC.



Ao encerrar o acto, o Comandante-Geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos, disse que a participação de efectivos da corporação na Brigada de Alerta da SADC constitui um acontecimento ímpar para Angola e vai permitir pôr à prova a sua experiência adquirida na manutenção da ordem e tranquilidade pública, quer em momentos de guerra, quer de paz.
Para si, numa missão de manutenção de paz é previsível a ocorrência de situações e existência de estados de tensão que requerem das forças policiais ponderação e profissionalismo.
Por norma, disse, "o terreno operacional é estranho e uma acção mal concebida pode gerar repercussões negativas e até mesmo lizura e imparcialidade das forças".
Desde a sua criação, a 17 de Agosto de 2007, durante a 27ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da SADC, que decorreu em Lusaka, Zâmbia, a Brigada em Estado de Alerta (BEA) da SADC registou já progressos quanto à organização e participação dos estados membros em operações de manutenção de paz em vários pontos do globo.
A missão da Brigada em Estado de Alerta (BEA) tem como objectivo principal realizar missões de observação e controlo, apoio à pacificação, intervenção num estado membro, de modo a restaurar a paz e segurança, prevenir um diferendo ou conflito, impedir que se agrave ou alastre para áreas ou estados vizinhos, prestação de assistência humanitária, desarmamento e desmobilização pós-conflito.
As tropas da BEA estão baseadas nos seus respectivos países devendo movimentar-se apenas quando solicitadas pela SADC, União Africana ou pelas Nações Unidas para uma intervenção ou missão de paz.

Atletismo


Director dos Desportos garante verba para São Silvestre



O director nacional dos Desportos, Raimundo Ricardo, garantiu nesta segunda-feira à Angop estar assegurada a verba para a próxima edição da “tradicional” corrida do fim de ano, designada São Silvestre.
O dirigente não revelou o montante atribuído à Federação Angolana de Atletismo (FAA), organizadora do evento, mas dá conta da existência de um plano do Ministério dos Desportos para o tratamento de questões financeiras com as federações.
Raimundo Ricardo disse crer que este ano haverá uma boa prova, devido a um programa ambicioso, rico e responsável que lhe foi apresentado pela direcção da federação de atletismo.
A corrida de São Silvestre realiza-se todos anos a 31 de Dezembro em algumas ruas de Luanda. Este ano prevê-se realizar a mesma num percurso de dez quilómetros.

Saúde

Vacinadas mais de 100 mil crianças do Cunene contra pó







Cento e 22 mil e 116 petizes, dos zero aos cinco anos de idade, foram imunizadas nas diversas unidade sanitárias da província do Cunene, durante a campanha de vacinação, contra a poliomielite, realizada de 14 a 16 de Agosto, do ano em curso.
A informação foi avançada hoje (terça–feira) à Angop pelo supervisor provincial do Programa Alargado de Vacinação, António Sanana, enfatizando que esta campanha conseguiu atingir o seu objectivo, que era de imunizar mais de 101 mil e 724 crianças
previstas, a nível dos municípios, comunas e aldeias, da região.
A fonte explicou que o município do Kwanhama foi o que maior número de menores vacinou, com 49 mil e 154, a seguir o de Ombadja, com 27 mil e 126, Cuvelai, 15 mil e 683, Namacunde, 12 mil e 297, Cahama, nove mil e 411, e o Coroca, com oito mil e 445,
respectivamente.
“A aderência dos responsáveis de crianças nos postos de vacinação afim de prevenirem os seus petizes da paralisia flácida foi bastante positiva, a julgar pelo maior número de vacinas do que se previa”, afirmou o responsável.
António Sanana informou ainda que estiveram disponíveis na campanha 152 mil e 586 doses e mil e 481 elementos, entre vacinadores, supervisores, assessores e mobilizadores, e contou também com a colaboração das autoridades tradicionais, que sensibilizaram as famílias a aderirem aos postos

Energia


Melhoramento do sector energético necessita de cinco biliões de dólares



Cinco biliões de dólares é quanto o Governo angolano poderá investir para melhorar o sector energético do país, aponta um projecto apresentado nesta terça-feira, em Luanda, pela Odebrecht Intertechne Angola.
Em declarações à Angop, o gerente de produtos internacionais da Odebrecht, Sérgio Kraenzer, afirmou que o projecto congrega a criação de cinco mil quilómetros de linhas de transmissão de energia e oito subestações de 620 kilowatts a serem distribuídos nas regiões Norte, Sul e Centro.
Com a execução deste projecto, acrescenta a fonte, cinco mil e 100 megawatts de energia eléctrica serão distribuídos pelo país, ultrapassando, deste modo, os 967 megawatts produzidos actualmente.
De acordo com Sérgio Kraenzer, o projecto terá início em 2011 com conclusão prevista para 2016, tempo que considerou suficiente para a elaboração do projecto.
Sérgio Kraenzer adiantou que o projecto não prevê um atendimento total dos consumidores, acrescentando que, para isso, será necessário maior investimento financeiro e temporal.
As questões relacionadas com algum possível impacto ambiental que o projecto poderá causar será analisado conjuntamente pelos técnicos da Odebrecht e do Ministério do Ambiente, segundo o responsável que garantiu prestar todo apoio para uma execução saudável do projecto, sem no entanto causar qualquer prejuízo ao meio.
A elaboração do Projecto de Planeamento do Sistema Eléctrico de Angola teve a duração de um ano e seis mês e foi feita pela Odebrecht sob orientação do Ministério da Energia e Águas.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Investimento

Vice-ministro anuncia criação de centros de juventude






Yaba Alberto, vice-ministro da Juventude, revelou que ainda este ano serão construídos 36 centros para os jovens, distribuídos por todo o território nacional. O anuncio foi feito aquando a sua visita ao município da Baía Farta, em Benguela.
O projecto conta com uma verba de 300 mil dólares e destina-se à criação de dois centros em cada província, explicando que na região que visitou os espaços vão nascer na Baía Farta e no Cubal. Na primeira localidade, o centro de juventude ocupará uma área de três hectares e vai dispor de sala de leitura e de informática, de campo polivalente e outras infra-estruturas, destinadas à ocupação dos mais novos. No Cubal, o local escolhido foi o bairro da Camunda, junto ao ex-hospital do CFB. O centro será dotado com sala de aconselhamento, de Internet, biblioteca, campo polivalente e salão de beleza.
O vice-ministro considerou importante a criação de centros para a juventude, já que são essenciais para a ocupação dos tempos livres e consequente combate à delinquência juvenil. O responsável passou pelo Cubal, onde visitou a reserva fundiária de 150 hectares, que se destina à construção de residências para jovens e a outros projectos governamentais, inseridos no programa habitacional.

Prevenção


Aeroporto de Luanda preparado para situações de crise


Vitoriano Joaquim, comandante da unidade dos Serviços de Bombeiros no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, garantiu que a corporação se encontra em condições para responder com prontidão e eficácia a eventuais casos de sinistralidade naquele espaço. O dirigente afirmou hoje que a unidade está estruturada para prevenir e proceder a missões de salvamento, em casos de acidentes de viação ou outras emergências. Por outro lado, a corporação tem capacidade para intervir imediatamente, uma vez que em caso de algum problema no avião, o comandante pode entrar em contacto com a torre de controlo, que emite logo de seguida o alerta.
“Somos informados sobre o número de passageiros que a aeronave transporta, tipo de combustível e se há alguma anomalia na pista, assim como qual será a pista a ser utilizada pelo avião para uma aterragem de emergência, e de imediato actuamos”, ressalvou.
O comandante revelou que a unidade de bombeiros do aeroporto dispõe de três viaturas para extinção de incêndios, duas ambulâncias para casos de emergência e um efectivo composto por 83 pessoas (bombeiros, mecânicos, entre outros). “Os nossos turnos são sub-divididos, com 12 ou 13 efectivos cada, e caso houver algum acidente ou incidente podemos reforçar o efectivo com o pessoal da manutenção, pois também recebem formação para agirem nestas circunstâncias”, finalizou.

Reconstrução

Lobito disponibiliza terrenos para construção


Amaro Segunda Ricardo, administrador local do município de Lobito, anunciou que as autoridades reservaram e apresentaram 150 hectares dos 300 concebidos para a província de Benguela, destinados para a construção de casas. O responsável defendeu que a intervenção directa do Governo Central neste projecto é benéfica para a resolução da problemática habitacional. Contudo, não adiantou números relativamente à quantidade de residências sociais a serem edificadas.
Por outro lado, Amaro Ricardo revelou que já existem planos avançados de residências construídas, que serão colocadas à disposição dos cidadãos em curto período de tempo, nomeadamente duas centenas de casas na povoação do Lwongo (Catumbela) e 90 moradias, a erguer na zona alta da cidade.
Além dos 150 hectares anunciados, o administrador explicou que existem mais duas reservas fundiárias, uma na zona do Lwongo e outra na área da praia dos Bebés e Cabaia (local mais baixo da cidade), onde serão igualmente construídas mais casas sociais.


Ensino

Ministério aplica lei de cobrança de propinas





O Ministério da Educação divulgou um documento em que determina que nenhum colégio pode cobrar propinas pelas actividades curriculares, por períodos superiores aos correspondentes ao ano lectivo. A medida surge no seguimento da aprovação de um despacho, em 17 de Junho, por parte do ministro António Burity da Silva.
Na nota divulgada pode ler-se que "os proprietários e/ ou Direcções de Colégios que pretendam alterar o valor mensal da propina a cobrar, devem dirigir propostas fundamentadas ao Ministério da Educação, através de requerimento, a entregar junto das Direcções Provinciais de Educação, que emitirão um parecer, após análise, e remeterão ao órgão de tutela para tratamento nos termos do disposto no artigo 57ºnº4 do Decreto nº43/02, de 3 de Setembro". Além de proibir o aumento do valor mensal da propina no decurso do ano lectivo, a entidade estabelece que os requerimentos para alteração das propinas devem dar entrada no organismo competente até ao final de Fevereiro do ano lectivo anterior ao que pretende aplicar. O desrespeito desta medida é considerado infracção grave e punível.
O órgão máximo responsável pela pasta da Educação determinou ainda o encerramento de 15 instituições de ensino privado de nível não superior, em Luanda, a pedido dos respectivos proprietários.

Média


Simpsons chegam a Angola


O slogan "Os Simpsons em Angola" é o mote para a introdução dos famosos bonecos americanos na televisão nacional. A agência publicitária encarregada de promover a chegada da série de animação adaptou os personagens ao país africano e transformou a conhecida família amarela num clã tipicamente angolano, com o intuito de promover o formato. A maior diferença da família de Springfield à chegada a Luanda está na cor de pele. Os personagens surgem castanhos, em que a cabeleira azul de Marge deu lugar a uma enorme 'afro', a Lisa e Maggie fizeram rastas e o Bart tem uma carapinha alisada. O chefe do clã, Hommer também sofreu alterações, pois ao invés da conhecida cerveja Duff, o boneco bebe agora uma Cuca angolana. O vestuário também foi adaptado, pelo que a família enverga chinelos típicos e roupas com motivos africanos.
Em declarações à Reuters, o director criativo da empresa responsável pela promoção publicitária, António Páscoa, argumenta que o objectivo desta campanha consiste em "adaptar a paródia satírica da típica família de classe norte-americana para Angola". Em relação às críticas que o cartaz tem surtido, o responsável pelo Luanda Executive Center defende que "se as pessoas não gostarem" é porque "não têm sentido de humor grande o suficiente para gostar de ver 'Os Simpsons'".
Porém, esta nova imagem destina-se apenas a promover a série, uma vez que quando for transmitida por satélite DStv, os episódios mantêm o formato original de Matt Groening.
"Os Simpsons" nasceram em 1989 e chegaram a cerca de 90 países. Foram dobrados em 20 idiomas e o seu êxito internacional tem mais de 20 anos.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Fotoreportagem



As quatro mães de Agosinho Neto



O poema “Adeus à hora da largada” do
poeta Agostinho Neto retrata na plenitude
algumas das imagens que se seguem. A
Mãe Negra, biológica, a Mãe Pátria, a Mãe
Continente e a Grande Mãe Cristã. MãeÁfrica
é um recurso simbólico diante da
necessidade do continente desejar uma maior
afi rmação racial, cultural, social e política
frente a séculos de luta. Razão pela qual, a
Mãe evocada é ao mesmo tempo a mãe negra
biológica - simbolizando a origem africana
-, a mãe pátria – a terra e nação angolana
-, a mãe continente – a África -, vista como
a progenitora da raça negra -, e também
a Grande Mãe Cristã – a Virgem Maria
-, em razão da formação evangélica e da
assimilação cultural sofrida. Estas crianças
que hoje mostramos encarnam na perfeição
todas estas Mães. Jovens gaiatas, de sorriso
cintilante, leoas que de olhos fechados estão
todos os dias mais perto. Por ti, por mim,
pelos meus irmãos, gazelas que fogem do
ignóbil e mantêm a luz no olhar.